26/02/2014

Jogos do Prazer.


                                                                                         
Adicione no SkoobCompre: Saraiva | Submarino | Cultura
           
   Jogos do Prazer é o terceiro livro da série Irmãos Rothwell e confesso que ele me surpreendeu um pouco, pois achei que contasse a história do Christian, marquês de Easterbrook que é um personagem bem intrigante. Mas, na verdade Jogos do Prazer narra a história de Roselyn Longworth que é prima de Alexia, protagonista do primeiro livro. 
  Desde As Regras da Sedução o leitor já vem acompanhando um pouco da situação em que Rose e sua irmã caçula Irene se encontram. Depois que o irmão rouba o dinheiro dos investidores de seu banco e foge do país levando a família à falência, Rose se vê em uma situação desesperadora. 
 Sem dinheiro até mesmo para o sustento mais básico e sendo muito orgulhosa para recorrer à ajuda da prima, Rose acaba caindo nas garras de um lorde infame. Lorde Norbury a atrai com falsas promessas de amor e a torna sua amante. 
 Quando Roselyn se nega a satisfazer seus desejos perversos ele a humilha na frente de todos os seus convidados em uma festa na sua mansão, e em seguida a vende em um leilão; quem a compra é Kyle Bradwell.  
  Kyle é um homem de origem humilde que veio das minas de carvão e que teve a oportunidade de estudar e construir uma vida melhor com a ajuda do conde de Cottington, pai de Norbury. Kyle arremata Rose para livrá-la da humilhação e devolve-a a família de sua prima. 
 Rose só não esperava que depois de tudo pelo que passou, depois da ruína financeira, da perda da virtude e do prestígio social ainda poderia encontrar alguém que demonstrasse delicadeza, respeito e consideração por ela como Kyle demonstra. E quando ele lhe mostra uma saída para sua desgraça, ela aceita sem nem imaginar o quanto Kyle está envolvido nessa trama. 
O escândalo tinha chegado a Watlington fazia uma semana. Como se tivesse vindo flutuando no vento. Pessoas que foram prestativas e solidárias quando Tim fugiu, amigos que a conheciam fazia anos, davam um jeito de não vê-la novamente. Ela ia viver ainda mais isolada do que antes..." pág. 37
  Jogos do Prazer foi uma leitura um pouco abaixo das minhas expectativas, o texto de Madeline Hunter continua bom, a narrativa é ágil e fluida, mas desta vez seus personagens não foram tão cativantes e empolgantes quanto os anteriores. 
  A história tem um bom pano de fundo, a situação desesperadora de Roselyn, sua natureza orgulhosa que não aceita o socorro da família da prima, a origem simples de Kyle e por isso a rejeição e preconceito que sofre na sociedade, tudo isso poderia ter feito com que a narrativa fosse mais intensa e apaixonada, entretanto aconteceu o contrário, a história me pareceu morna, sem emoção e um pouco apagada. 
  Kyle é um personagem que é fácil admirar, é um homem que venceu os obstáculos que a vida colocou em seu caminho, mas que se esforça para se ajustar a sociedade em que vive. Tem princípios e valores que faltam naqueles que se orgulham em ser um lorde. É muito fofo ver a forma como ele acolhe Roselyn sem nunca lembrá-la de seu passado. 
 Apesar disso, a Madeline Hunter poderia ter sido um pouco mais generosa com os protagonistas, considerando tudo o que eles já haviam passado. Portanto, o final poderia ser mais bem desenvolvido. 
 O livro é narrado em terceira pessoa e a leitura é tão ágil que em alguns momentos a rapidez com que a história é contada me incomodou, algumas partes poderiam ser mais bem trabalhadas e talvez com isso a história ganhasse um pouco mais de brilho. 
 Os personagens dos livros anteriores também marcam presença no livro, principalmente Alexia e Hayden que tem uma ligação mais próxima com a história da Rose. 
 Mais uma vez a autora destacou com habilidade a função da mulher naquela época e quanto a sociedade poderia ser cruel com aquelas que não se encaixavam em suas regras.  
 O marquês de Easterbrook aparece bem mais nesse livro e só me deixou ainda mais curiosa para ler a história dele, por ser o personagem mais misterioso da série. 
 A capa do livro é muito bonita, tem uns padrões de flores que dá um toque bem feminino e delicado ao livro. As páginas são amareladas e as letras tem bom tamanho. 
 Jogos do Prazer é uma história de amor que fala sobre superação e mesmo que tenha esperado um pouco mais da narrativa, Madeline Hunter é uma das minhas autoras preferidas e sua maneira única de contar uma história garante uma leitura agradável do inicio ao fim. Quem gosta dos Romances de Época precisa conhecer a série.  
                                     

3 comentários:

  1. Rafa que pena que esse livro não é tão bom quanto os dois anteriores =\ acho essa capa a mais bonita das três!!!
    Adorei ler sua resenha e acompanhar sua opinião. Desejo próximas leituras interssante e com ótimas narrativas para vc queridona!!! Beijos e obrigada pela presença lá no blog!!!

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  2. Já pedi esse livro para ler, curiosa ;)
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. To curiosa quanto a serie.... Parece ser legal ;)

    http://foreverabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

O seu comentário é muito importante para mim, por isso não economize palavras; adoro saber sua opinião! Caso tenha um blog deixe o link para que eu possa retribuir seu comentário. :D
Beijos da Rafa!!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. Voltar ao Topo