agosto 10, 2013

A Garota do Penhasco.




























Adicione no SkoobCompre: Submarino| Saraiva| Cultura

    A Lucinda Riley já conquistou um espaço muito especial no meu coração, suas histórias são promessas de leitura prazerosa, narrativas bem escritas com mistérios e segredos que influenciam a vida dos personagens. Toda vez que pego um livro da autora para ler, já espero me emocionar e me encantar mais uma vez com o talento que ela tem para contar histórias.
   A Garota do Penhasco narra a perturbadora história de duas famílias entrelaçadas pelo destino e por mágoas do passado. Nós somos introduzidos na história a partir do encontro de Grania Ryan e Aurora Devonshire.
   Depois de passar por uma grande tristeza que a deixa devastada, Grania Ryan decide deixar sua carreira de escultora em Nova York, sua casa e o homem que ama para voltar a pequena fazenda de sua família, na Irlanda. 
   Magoada e tentando superar a dor que sofreu, ela aproveita as caminhadas para pensar em sua vida e em tudo que aconteceu. Em uma desses passeios a beira de um penhasco ela encontra uma garota de aparência frágil e que parece estar em perigo; Grania fica logo impressionada com a criança.
   A partir daí os caminhos de Grania e Aurora se cruzam as duas acabam ficando muito próximas e um forte carinho e afeição surgem no relacionamento delas. Aurora é uma garota órfã de mamãe que vive a maior parte do tempo aos cuidados de preceptores e empregados, já que seu pai é quase sempre ausente. 
  Levada pela garota, Grania começa a frequentar a Casa Dunworley, o que não agrada nada Kathleen, sua mãe. A amizade entre a mulher e a criança se torna mais forte à medida que Aurora não se sente mais tão sozinha, e Grania encontra consolo para a dor que ainda sente.
  Assim que Grania passa mais tempo com Aurora na Casa Dunworley, ela conhece Alexander Devonshire, o belo pai da garota, e sua ligação com a família Lisle fica mais intensa quando Alexander pede que Grania faça companhia a Aurora enquanto ele embarca em suas viagens misteriosas. 
  É durante esse tempo que Grania descobre mais sobre os conflitos de sua família e a relação trágica que possuem com a família Lisle. Segredos enterrados há tanto tempo acabam vindo à tona e uma história tocante termina por ser revelada e novamente o destino insiste em aproximá-los. 

 (...) Quaisquer que fossem seus sentimentos em relação à Aurora, a criança não podia ser responsabilidade sua. E não poderia permitir que a história se repetisse..." pág. 299  
   Quem já leu algum livro da Lucinda Riley deve compreender o quanto suas histórias são marcantes e difíceis de esquecer. A narrativa, a escrita, a construção dos personagens e a forma como o enredo é estruturado conquista instantaneamente o leitor. 
   A Garota do Penhasco é uma história que comove e encanta pela delicadeza e sensibilidade que já são marca registrada da escrita de Lucinda Riley. O que me impressiona na forma como a autora constrói seus enredos é a habilidade que ela possui de atrair e guiar a atenção do leitor de uma maneira que nos deixa atentos aos mínimos detalhes que compõe a história. 
  Neste livro mais uma vez ela usa o recurso de fundir passado e presente em duas histórias paralelas dentro da mesma narrativa, e você deve pensar que por causa disso as histórias dela se tornam previsíveis ou enfadonhas, mas acontece totalmente o contrário. 
  A Lucinda consegue criar no leitor expectativas no decorrer da leitura porque por mais que você acredite que os acontecimentos levam a narrativa para determinado desfecho, a autora acaba te surpreendendo pela forma como  consegue trazer realidade para o enredo. 
  Temos também mais uma vez um contexto histórico aliado a narrativa, desta vez a autora usa as duas Guerras Mundiais como referência e traz a Arte da Dança mais especificamente o Balé para a história, isso proporciona suavidade e certa magia ao texto. 
  Em A Garota do Penhasco também encontramos um toque de mistério que induz ainda mais o leitor a desvendar os segredos que povoam a história. Em certo ponto a narrativa se torna sombria e alguns personagem chegam ao ponto de nos deixar chocados; a autora consegue fazer com que você fique com os olhos grudados nas páginas para não perder nenhum detalhe importante para o desenrolar do conflito.
  Apesar de A Garota do Penhasco ser um livro grande com suas 528 páginas e ter uma história densa, a leitura é rápida flui facilmente fazendo com que a narrativa seja muito envolvente.
  A surpresa neste livro fica por conta da forma como a história é contada; a narradora é a pequena Aurora e é por meio dela que somos conduzidos durante a leitura. Em vários momentos ela interrompe a narrativa para conversar com o leitor e fazer as explicações que acha necessária. Depois disso a narrativa segue em terceira pessoa e temos uma visão geral dos personagens e dos acontecimentos da história. Só no final você consegue entender a interferência e importância de Aurora na narrativa. 
  Eu apenas senti falta da presença mais forte de romance no enredo, o foco aqui não é a história de amor entre homem e mulher e isso fica claro deste o inicio, mesmo assim eu esperava um pouco mais de romantismo. O casal da história não me convenceu, Grania é um tanto insegura e extremamente orgulhosa o que a tornou chata em alguns momentos. 
  O livro tem uma diagramação simples, mas agradável e as letras são confortáveis para leitura. Entretanto, a capa não me agradou achei tão simples não chama muita atenção; outra coisa que me incomodou bastante foi o erro na sinopse que fica na contracapa do livro, lá diz que "O caso de amor entre Grania Ryan e Lawrence Lisle comove por sua delicadeza e força vertiginosa que culmina em imensa tristeza".
  Em momento algum na história Grania tem um caso de amor com Lawrence Lisle, já que ele viveu em outra época. No início esse erro me deixou confusa com leitura, e eu fiquei tentando identificar isso dentro da narrativa, pensei até que havia duas personagens com o mesmo nome, mas em momentos diferentes no texto. 
  Apesar de esse erro ter me inquietado muito, no geral A Garota do Penhasco é uma obra que emociona desde as primeiras páginas, e que fala sobre o amor e o quanto é importante e fundamental o carinho de uma família. Se você ainda não leu nada da Lucinda Riley comece agora mesmo; e prepare-se para histórias arrebatadoras! 

9 comentários:

  1. Rafa amei sua resenha, foi a primeira que li desse livro. Mas pelo que andei lendo pela blogsfera esse livro nao é o melhor da autora né???
    Mas enfim preciso começar a ler os livros dela urgente, vc me deixou curiosa!!!!
    Parabéns pela leitura e resenha.
    Te adoro, vc sabe!!!!


    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi,
    ahh fiquei mt curiosa para pegar esse livro, amo livro marcantes :D
    Bjs!!
    Viciados Pela Leitura



    ResponderExcluir
  3. Oi Rafa! Pelo visto não é o melhor da autora e como não li os anteriores, acho que devo começar com este, assim posso até gostar mais. Estou precisando de uma história para emocionar.
    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  4. Oi Rafa! Eu já A Casa das Orquídeas e amei. Adorei o jeito que a Lucinda Riley escreve, mas seus livros são um pouquinho grandes e as vezes bate uma preguicinha para ler. Mas com certeza lerei este também.
    Beijinhos!

    Camila.
    loucuradelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Os livros dessa autora parecem tão bons, com histórias bem constrúidas.Não li nada dela ainda, mas pretendo começar pela "A casa das orquídeas" que foi o que mais chamou minha atenção.

    ResponderExcluir
  6. Estou lendo o livro e estou amando , em dois dias ja o li quase todo , estou ansiosa pelo final da historia . RECOMENDO A TODOS
    CRIS

    ResponderExcluir
  7. Comecei a ler hoje, estou fascinada!!!

    ResponderExcluir
  8. Sou apaixonada por leitura. A garota do penhasco foi o primeiro livro de Lucinha Riley que eu li, e me emocionei muito pelo estilo de escrever dela, é fantástico , por isso eu já li"Aluz através das janelas" e na sequência já estou lendo "A casa das orquídeas" que também parece ser excelente

    ResponderExcluir
  9. Gostei bastante do livro, já é o segundo livro de Lucinda que leio, primeiro foi a casa das orquídeas (amei demais).E também fiquei muito intrigada com o erro na sinopse,fiquei procurando o caso de amor deles mas não existe rsrs

    ResponderExcluir

O seu comentário é muito importante para mim, por isso não economize palavras; adoro saber sua opinião! Caso tenha um blog deixe o link para que eu possa retribuir seu comentário. :D
Beijos da Rafa!!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. Voltar ao Topo