FORMATURAS INFERNAIS.

Autoras: Meg Cabot, Stepfenie Meyer, Michele Jaffe, Kim Harrison, Lauren Myracle. 
Editora: Galera Record 
Páginas: 318 

                                           
    O que falar desse livro? Não sei se conseguirei passar todas as impressões que tive ao lê-lo, mas vou tentar... Para começar Formaturas Infernais não é o tipo de livro com o qual estou acostumada a ler, sou uma admiradora dos romances( narrativas longas que explora vários episódios que se interligam). Este é um livro de contos, para ser mais exata cinco contos curtos de autoras diferentes algumas que eu ainda não conhecia. 
    O título também foi algo que me deixou um pouquinho desapontada; é que INFERNAIS é uma palavra que remete a algo muito assustador, pensei que fosse um livro de terror (não que eu seja fã de filmes e histórias de terror, imaginem, eu nem consigo assistir a um filme desse gênero; as imagens ficam fixadas na minha mente e eu não consigo dormir ou ficar sozinha em casa. Engraçado né, podem rir eu já estou acostumada todos riem de mim! rsrsrsrs). 
   Bem voltando ao livro, passei alguns dias para me acostumar com a ideia de ler algo que fosse de "terror". Não é que Formaturas Infernais não tem nada de assustador, é até um pouco romântico(gostei dessa parte é claro). O primeiro conto é da Meg Cabot e se chama: A filha exterminadora. È bem legal e o meu favorito por ser o único que eu consegui ler sem que surgisse muita confusão na minha cabeça, não preciso nem dizer que tem um romance super fofo. 
    O segundo é da Lauren Myracle, entitulado: O buquê. Não gostei tanto quanto gostei do anterior, é que esse é bemmm triste, posso dizer que é o único que é um pouquinho assustador. Imagina você ter um buquê estranho que pode realizar três desejos? Ou você procurar uma vidente para garantir que o menino que você gosta lhe convide para o baile de formatura? Frankie estava muito obcecada com isso, entretanto as coisas não aconteceram como ela desejava. Um verdadeiro pesadelo! Medison Avery e a Morte(Kim Harrison). Madison é uma garota que eu posso chamar de birrenta. 
    Ela está convencida de que sua festa de formatura é chata assim como o garoto que a acompanhou, nem imaginava que a situação poderia ficar realmente pior. Fiquei frustrada com esse conto ele acabou justamente quando tudo estava ficando interessante, pensei: Acabou? como assim? Onde está a continuação da história? Tenho que confessar que fiquei com raiva. Contudo ainda viria Salada Mista(Michele Jaffe). 
    Este definitivamente foi o mais confuso de todos, ele começa de trás para frente a narrativa retrocede, até aí sem problemas. Então surge Miranda, uma garota diferente uma coisa tenho certeza ela não é humana, mas eu não consegui identificar a espécie dela. Sem falar na Sibby essa é mesmo estranha, o conto terminou e milhares de dúvidas ficaram na minha cabeça. Enfim chegamos ao último conto, Inferno na Terra(Stepfenie Meyer). 
   Eu estava com uma enorme expectativa para ler esse conto, bem sendo da Stephenie Meyer e tendo Crepúsculo como referência, esperava bem mais. Não gostei muito do tema DEMÔNIOS, houve coisas que eu não compreendi e perguntas sem respostas; felizmente a Stefhenie Meyer tem um certo dom para criar garotos incrivelmente maravilhosos, eu amei o Gabe. 
  Concluindo, Formaturas Infernais é uma leitura razoável, esse foi o meu primeiro contato com os contos eu posso dizer que foi bom, é importante experimentar coisas diferentes de vez em quando para não ficarmos restritos às mesmas coisas sempre. 
   O que foi mais difícil para mim, é que o livro é uma junção de autoras diferentes com maneiras de escrever diferentes, cada uma possui o seu próprio estilo não tem como não fazer comparações. Leia Formaturas Infernais depois você me diz sua opinião...

MARLEY E EU: A vida e o amor ao lado do pior cão do mundo.

Autor: John Grogan 
Editora: Ediouro 
Páginas: 302
                                  




    
     Há muito tempo eu ouço falar desse livro, muitas pessoas me perguntando o tempo todo se eu já havia lido Marley e Eu. Tudo bem eu confesso que fiz aquilo que um leitor nunca deve fazer: julgar um livro pela capa. Tenho uma certa resistência ridícula a filmes e até livros onde os cachorros são protagonistas. É que eu amo romances e na minha cabeça filmes e livros onde os cães são o centro não contém a mesma emoção e adrenalina que os romances nos apresentam. Bobagem não é mesmo? 
    Mesmo assim eu continuava a rejeitar Marley e Eu, sempre que eu ia comprar um livro ele estava lá me encarando com aquela expressão interrogativa que vemos na capa do livro, era como se ele me perguntasse: Hoje é a minha vez, me leve com você? Então meus olhos se deparavam com mais um romance recheado com um casal apaixonado e eu esquecia completamente de Marley e Eu. Garota boba eu sei! 
   Eu não trouxe esse livro para casa por vontade própria, mas um dia ele apareceu na minha casa. Era como se dissesse: Agora você terá que me ler! Um dia eu estava conversando sobre livros com a minha madrinha e ela me perguntou se eu conhecia e se já havia lido Marley e Eu. 
   Eu pensei, mas o que será que esse livro tem que todos falam dele? Então respondi a minha madrinha que conhecia mais nunca havia lido. Então ela disse que iria me emprestar para que eu pudesse ler; dentro de dois dias Marley e Eu estava na minha casa esperando para ser lido. 
   Não havia mais como resistir, mesmo assim eu o deixei por último, li todos os outros primeiro até que chegou o dia que só me restou ele. Enfim comecei a ler, e me apaixonei por esse livro, é maravilhoso e lindo. 
   Conta a história de uma família em formação, um casal recém-casado que planejam ter filhos, mas que precisam primeiro ter a certeza de que conseguirão tomar conta de uma nova vida frágil e indefesa por isso decidem comprar um cão labrador. A partir desse momento a vida deles muda completamente. 
   Marley cresci assustadoramente e se torna um cão gigantesco e atrapalhado, um verdadeiro furacão. Ele arrebentava portas, rompia paredes de compensado, babava nas visitas, apanhava roupas de varais vizinhos, e comia praticamente tudo que via pela frente incluindo tecidos de sofás e jóias; Marley conseguiu até ser expulso da escola de adestramento e "fechar" uma praia pública. 
   No entanto Marley ensinou uma importante lição de vida aos humanos, mostrou que o amor e a lealdade não têm limites e que o cão é sem dúvida o melhor amigo do homem. Marley me apresentou adrenalina, emoção, amor incondicional, diversão (dei muitas risadas com tudo que ele apronta, é hilário) eu até chorei no final. 
   Até deu vontade de ter um Marley também... Não, melhor não...      
                         



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© FASCINADA POR HISTÓRIAS - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo